Diferença de sonhos e projeção astral

sonhos e projeção astral

Sonhos e projeção astral representam dois dos fenômenos mais intrigantes e reveladores no estudo da consciência humana, oferecendo perspectivas únicas sobre as profundezas ocultas da mente e as dimensões além do mundo físico.

Enquanto os sonhos nos transportam para um universo de símbolos, emoções e narrativas geradas pelo subconsciente, a projeção astral nos conduz a uma jornada consciente fora do corpo, explorando planos de existência que transcendem nossa realidade física habitual.

Este artigo se propõe a explorar as nuances distintas e os pontos de interseção entre esses dois estados de consciência, elucidando métodos para distinguir um do outro e discutindo suas implicações para nossa compreensão do ser humano e do universo.

guia completo de projeção astral

O que é Frequência Vibracional?

Frequência vibracional é um termo usado para descrever como tudo no universo, incluindo nós mesmos, é feito de energia que vibra em diferentes velocidades. Essas vibrações não são algo que podemos ver a olho nu, mas são fundamentais para a compreensão da física moderna, especialmente no campo da física quântica. Simplificando, tudo ao nosso redor, desde a cadeira em que sentamos até nosso próprio corpo, é composto por partículas minúsculas que estão constantemente em movimento.

Cada pessoa, objeto, ou pensamento tem sua própria frequência vibracional única. Isso significa que estamos todos emitindo vibrações o tempo todo. Essas vibrações podem ser influenciadas por nossos pensamentos, emoções e ações. Quando falamos sobre estar em “boa vibração” ou sentir a “energia” de alguém, estamos na verdade nos referindo a essa frequência vibracional.

A Consciência e a Frequência

Nossa consciência também opera em diferentes frequências vibracionais. Isso significa que os diferentes estados de consciência, desde estar acordado e alerta até diferentes níveis de sono e meditação, podem ser descritos em termos de mudanças nessas frequências. Essa ideia nos ajuda a entender como podemos mudar nosso estado mental ou emocional alterando nossas frequências vibracionais.

Na física, a ideia de que tudo é feito de partículas vibrantes é bem estabelecida. Essas partículas, como elétrons e quarks, não são estáticas; elas estão sempre se movendo e interagindo umas com as outras. Quando mergulhamos no estudo da matéria no nível mais básico, encontramos um mundo vibrante de energia em vez de blocos de construção sólidos e imutáveis.

Entender a frequência vibracional nos ajuda a compreender melhor o mundo ao nosso redor e como interagimos com ele. Reconhecer que somos feitos de energia vibrante nos dá uma nova perspectiva sobre nossa saúde, nossas relações e até mesmo nossos ambientes.

Ao aprendermos mais sobre como nossas vibrações afetam tudo ao nosso redor, podemos começar a tomar medidas conscientes para melhorar nossa saúde, nossos relacionamentos e nosso bem-estar geral, ajustando nossa própria frequência vibracional.

Frequência Vibracional: O Código da Existência

A ideia de que tudo no universo é composto por frequências vibracionais é fundamental para compreender como interagimos com o mundo ao nosso redor. Essas frequências podem ser consideradas como códigos, similares ao DNA, que carregam informações únicas sobre cada aspecto da criação.

Tudo que experienciamos, desde objetos físicos até pensamentos e emoções, pode ser descrito em termos de frequências vibracionais que formam um código específico no nosso campo de consciência.

O Conceito de Formas-Pensamento

No contexto místico, esse código vibracional criado por nossas experiências e pensamentos é conhecido como “formas-pensamento”. As formas-pensamento são energias criadas por nossa consciência que podem ter efeitos tangíveis no mundo físico e no nosso bem-estar. Elas podem ser passageiras ou persistentes, dependendo da quantidade de atenção e energia que lhes dedicamos.

Por exemplo, ao assistir a uma cena emocionante na TV que desperta fortes emoções, essa experiência é convertida em uma frequência vibracional e, consequentemente, em um código específico dentro do nosso campo de consciência. Se essa emoção não é continuamente alimentada por nossa atenção, a forma-pensamento associada a ela tende a perder força e se dissolver.

No entanto, se dedicarmos atenção contínua a um determinado pensamento ou emoção, a forma-pensamento correspondente pode se fortalecer. Isso é particularmente verdadeiro para pensamentos focados em medos, preocupações ou desejos intensos.

Por exemplo, fixar-se na ideia de doença pode, com o tempo, densificar essa forma-pensamento até que ela adquira uma presença quase física em nossa realidade, influenciando nosso estado emocional e, potencialmente, nossa saúde física.

Corpos Dimensionais e Formas Pensamentos

No nível mais básico, temos o corpo físico, percebido pelos nossos sentidos e pela ciência convencional. As formas-pensamento com frequências mais densas ressoam neste plano, afetando diretamente nossa saúde e bem-estar físico. Um passo além no espectro vibracional nos leva ao corpo etérico, uma camada sutil que serve como a ponte entre o físico e os estados mais sutis de ser. As formas-pensamento que influenciam este corpo podem afetar nossa energia vital e nossa disposição física.

O Corpo Astral

Subindo na escala vibracional, encontramos o corpo astral, associado aos nossos sentimentos e emoções. As formas-pensamento que ressoam aqui são responsáveis por nossas experiências emocionais, sonhos e até viagens astrais. Este corpo é particularmente sensível às vibrações que emanam do nosso ser emocional, refletindo a qualidade dessas energias em nossa vivência emocional cotidiana.

O Corpo Mental Inferior e Superior

Mais sutis ainda são os corpos mentais, divididos em inferior e superior. O corpo mental inferior abriga o inconsciente pessoal, repleto de formas-pensamento criadas a partir de nossas experiências individuais, crenças e memórias. Essas formas-pensamento podem influenciar profundamente nossa psique, comportamento e percepções de mundo.

Por outro lado, o corpo mental superior conecta-se ao inconsciente coletivo, um campo de conhecimento e experiência compartilhado por toda a humanidade. As formas-pensamento aqui presentes são de natureza mais universal, influenciando as grandes correntes de pensamento, inovações e a evolução cultural da humanidade.

A Dinâmica das Formas-Pensamento

As formas-pensamento não são estáticas; elas migram e se transformam entre esses corpos dimensionais, dependendo de sua densidade vibracional e da atenção que lhes é dedicada. Por exemplo, um pensamento persistente de medo pode inicialmente ressoar no corpo astral como uma emoção, mas se alimentado constantemente, pode se densificar, afetando o corpo etérico e, eventualmente, manifestando-se como sintomas físicos no corpo.

Essa interconexão entre os corpos dimensionais e as formas-pensamento revela uma complexa rede de influência mútua, onde mudanças em um nível podem afetar todos os outros. Compreender essa dinâmica nos capacita a moldar conscientemente nossa realidade, ajustando nossas frequências vibracionais através de práticas como meditação, visualização e afirmações positivas.

A natureza dos sonhos

Os sonhos podem ser entendidos como uma transferência de dados entre as formas-pensamento dos corpos mental inferior e superior. Durante o dia, absorvemos uma vasta quantidade de informações do mundo ao nosso redor.

Essas informações são convertidas em frequências vibracionais e armazenadas no corpo mental inferior, o depósito do nosso inconsciente pessoal. Quando alcançamos as ondas theta durante o sono, essas frequências são transferidas para o cérebro físico, manifestando-se como sonhos.

Sonhos: Uma Janela para o Subconsciente

Essa transferência de formas-pensamento entre os corpos dimensionais para o corpo físico nos sonhos oferece uma janela única para o nosso subconsciente. Através dos sonhos, somos capazes de processar, entender e, às vezes, resolver questões que nos ocupam no nível subconsciente. Os sonhos se tornam, portanto, não apenas uma experiência de descanso ou entretenimento noturno, mas uma ferramenta essencial para o crescimento pessoal e a autoexploração.

Compreender os sonhos através da lente das frequências vibracionais e dos corpos dimensionais amplia nossa percepção da complexidade da mente humana e da consciência. Reconhecendo os sonhos como transferências de formas-pensamento entre diferentes aspectos do nosso ser, podemos começar a usar nossas experiências oníricas como um recurso valioso para o desenvolvimento pessoal e espiritual.

Através da atenção consciente aos nossos padrões de sonho e às mensagens que eles trazem, abrimos novas avenidas para a compreensão de nós mesmos e do universo vibracional que habitamos.

A natureza da projeção astral

Nos sonhos, nossa mente navega através de um vasto oceano de formas-pensamento armazenadas nos corpos dimensionais, interagindo com um universo construído pelas nossas próprias percepções, emoções e memórias.

No entanto, a projeção astral apresenta uma dinâmica inteiramente diferente. Aqui, não estamos simplesmente acessando ou manipulando as informações armazenadas em nossa consciência; estamos expandindo nosso foco para além dos limites do corpo físico, entrando em um domínio onde a realidade opera sob regras distintas.

A Natureza Distinta da Projeção Astral

Ao contrário dos sonhos, onde as experiências são moldadas pelas nossas formas-pensamento internas e podem ser alteradas por nossas expectativas ou desejos, a projeção astral envolve um deslocamento consciente para um plano de existência que é consistente e independente da vontade do projetor. Neste estado, a consciência se desloca do corpo físico para o corpo astral, permitindo ao indivíduo explorar a dimensão astral, um reino que coexiste com o nosso, mas opera em uma frequência vibracional diferente.

Durante uma projeção astral, ocorre uma mudança significativa na percepção. Não se trata de uma transmissão de informações processadas pelo cérebro físico, mas de um total deslocamento do foco da consciência.

Este deslocamento permite que a pessoa experimente a realidade astral com a mesma vividez e tangibilidade que o mundo físico. As sensações percebidas, os encontros e as paisagens existem independentemente do projetor, proporcionando uma experiência que é muitas vezes descrita como sendo tão real quanto a vida desperta.

Ao entrar na dimensão astral, o projetor descobre que, ao contrário dos cenários oníricos que podem ser moldados pela mente, a realidade astral possui uma consistência própria. Embora possa haver interação e exploração, o ambiente e os eventos encontrados não são produtos da imaginação do projetor, mas aspectos de uma dimensão que tem sua própria existência e leis.

Isso significa que, na projeção astral, não se pode simplesmente desejar mudanças no cenário ou controlar os eventos com o pensamento; ao invés disso, o projetor deve navegar e interagir com o ambiente astral como ele é.

curso de projeção astral site

Sonhos e Projeção Astral

A intersecção entre sonhos e projeção astral representa um fenômeno intrigante na exploração da consciência humana durante o sono. Embora possam parecer experiências distintas, é possível que ocorram simultaneamente, oferecendo uma janela para a complexidade da nossa consciência e sua capacidade de operar em múltiplos níveis de realidade.

A Dualidade da Consciência Durante o Sono

Quando dormimos, nossa consciência não se desliga completamente; ao invés disso, ela se bifurca, com uma parte permanecendo no corpo físico e outra parte se estendendo para se conectar com o corpo astral. Essa divisão é fundamental para a nossa sobrevivência, pois a conexão contínua com o corpo físico é o que nos mantém vivos, regulando funções vitais mesmo durante o sono profundo.

A possibilidade de sonhar e experimentar projeção astral ao mesmo tempo sugere que nossa consciência pode engajar-se em atividades complexas e multidimensionais. Enquanto uma parte de nós navega pelo mundo dos sonhos, criado a partir de nossas memórias, emoções e formas-pensamento, outra parte pode viajar no plano astral, explorando uma realidade que existe além das limitações físicas.

O desafio surge quando tentamos processar e integrar essas experiências ao acordar. O cérebro físico, trabalhando para fazer sentido das informações recebidas de ambos os domínios, pode acabar mesclando fragmentos de sonhos com memórias de projeção astral. Essa sobreposição pode tornar difícil distinguir uma experiência da outra, criando uma tapeçaria complexa de recordações que desafia nossa percepção convencional de realidade.

Como distinguir sonhos e projeção astral

Distinguir sonhos de projeções astrais é uma prática sutil que exige uma autoconsciência aguçada e um entendimento do próprio panorama mental e emocional. A técnica de atenção plena desempenha um papel crucial nesse processo de discernimento, guiando os indivíduos para uma compreensão mais profunda das origens de suas experiências noturnas.

Atenção Plena na Análise de Experiências Noturnas

Atenção plena, no contexto de distinguir sonhos de projeções astrais, envolve um exame atento e não julgador do conteúdo e dos tons emocionais dos sonhos de alguém. Por exemplo, ao acordar com imagens vívidas de ser perseguido por um monstro, é importante engajar-se em um processo reflexivo.

Este processo exige um esforço concentrado para rastrear as origens dessas formas-pensamento para determinar se elas se originam de influências externas (como filmes, livros ou conversas) ou estados internos (como medos ou ansiedades subjacentes).

O passo inicial é identificar a fonte das formas-pensamento. Isso envolve questionar-se se o conteúdo do sonho é um reflexo de entradas recentes do mundo físico ou uma manifestação de estados emocionais internos.

Na maioria das vezes, os sonhos são uma interação complexa de ambos, atuando como um espelho para nossa mente subconsciente, onde informações absorvidas durante nossa vida desperta são armazenadas e posteriormente reencenadas no estado de sonho.

Um aspecto chave da atenção plena neste contexto é reconhecer o pano de fundo emocional do sonho. Os sonhos muitas vezes amplificam nossas emoções da vida desperta, apresentando-as em cenários vívidos, às vezes exagerados. Ao examinar as emoções evocadas pelo sonho e sua conexão com nossa vida desperta, podemos obter insights sobre se o sonho é um processamento simbólico de nossos medos, desejos ou outros estados emocionais.

Reconhecer o papel das influências externas na formação de nossos sonhos também é vital. O conteúdo de nossos sonhos pode ser fortemente influenciado por nossas experiências diárias, a mídia que consumimos e as conversas em que participamos.

Ao nos tornarmos mais conscientes dessas influências e seu impacto no conteúdo dos nossos sonhos, podemos melhor diferenciar entre sonhos enraizados nessas entradas externas e experiências que podem indicar projeção astral.

Sonhos e Projeção Astral

Diários dos Sonhos

A técnica de relembrar conscientemente das experiências noturnas é uma prática poderosa para desenvolver uma compreensão mais profunda dos próprios sonhos e potencialmente identificar experiências de projeção astral. Essa prática envolve dedicar um tempo logo após acordar para refletir e registrar os detalhes das experiências noturnas, uma estratégia que pode aprimorar significativamente a capacidade de distinguir entre diferentes tipos de experiências oníricas.

Reservando Tempo para Rememoração

Dedicar cerca de meia hora depois de acordar para contemplar e recordar os detalhes dos sonhos ou experiências de projeção astral é essencial. Esse período logo após o despertar é quando as memórias dos sonhos são mais vivas e acessíveis. Durante essa fase de rememoração, é importante tentar capturar não apenas os eventos ou imagens dos sonhos, mas também as emoções, pensamentos e sensações associadas a eles.

Manter um diário dos sonhos é uma técnica complementar crucial. Escrever os sonhos imediatamente após acordar ajuda a preservar detalhes que podem ser rapidamente esquecidos ao longo do dia. Além disso, o ato de registrar os sonhos promove uma maior atenção e valorização das experiências noturnas, o que pode intensificar a clareza e a frequência dos sonhos lembrados.

O diário dos sonhos serve como um registro valioso que pode ser revisado ao longo do tempo para identificar padrões, temas recorrentes e possíveis mensagens ou insights subconscientes.

Ao praticar regularmente a rememoração consciente e manter um diário dos sonhos, as habilidades de distinguir entre sonhos comuns e projeções astrais começam a se desenvolver. Através da revisão contínua dos registros no diário dos sonhos, é possível começar a identificar elementos ou sensações que são característicos das projeções astrais em contraste com sonhos ordinários.

Por exemplo, a sensação de deslocamento consciente ou a percepção de ambientes que parecem existir independentemente da vontade do sonhador podem indicar uma experiência de projeção astral.

A chave para o sucesso nesta técnica é a consistência. A prática diária de relembrar e registrar as experiências noturnas aprofunda a conexão com o subconsciente e amplia a percepção sobre as múltiplas camadas da própria consciência. Com o tempo, essa prática não apenas melhora a capacidade de recordar sonhos e projeções astrais, mas também enriquece a jornada de autoconhecimento e expansão da consciência.

Validão fora do Corpo

A técnica avançada de validação de experiências fora do corpo, que envolve a observação consciente de detalhes específicos do ambiente físico durante a projeção astral, é um dos métodos mais desafiadores e reveladores na prática da projeção astral.

Esta abordagem requer que o praticante estabeleça uma intenção clara antes de dormir, focando na observação de detalhes do ambiente que possam ser verificados posteriormente. A ideia é que, durante uma experiência de projeção astral, o indivíduo faça um esforço para notar aspectos do ambiente físico, como a posição do corpo, objetos no quarto ou até atividades menores, como um animal de estimação dormindo em um local específico ou a água pingando de uma torneira.

Registre tudo como treino

Após o retorno ao corpo físico, é crucial que o praticante registre imediatamente os detalhes observados antes que a memória da experiência comece a desvanecer. Este registro pode ser feito mentalmente ou, idealmente, em um diário dedicado a sonhos e projeções astrais, ajudando a solidificar a lembrança da experiência. Em seguida, o praticante deve realizar uma verificação física dos detalhes observados para confirmar se a experiência corresponde à realidade física.

Por exemplo, se durante a projeção astral o praticante observou seu cachorro dormindo em um cômodo específico ou notou um detalhe peculiar como a torneira da cozinha pingando, verificar esses detalhes na realidade física pode fornecer evidências tangíveis da experiência fora do corpo. Se os detalhes observados durante a projeção se alinharem com a realidade, isso pode servir como uma confirmação poderosa da autenticidade da experiência astral.

No entanto, é importante manter uma abordagem equilibrada e crítica, pois discrepâncias entre as observações e a realidade física também são possíveis. Essas discrepâncias podem ser influenciadas por vários fatores, incluindo a mistura de memórias de sonhos com a experiência de projeção. Portanto, a prática contínua, a paciência e a atenção plena são essenciais para desenvolver a habilidade de distinguir e verificar experiências fora do corpo de forma eficaz.

Esta técnica não apenas desafia a percepção convencional da realidade e expande a compreensão da consciência, mas também oferece uma oportunidade valiosa para explorar as profundezas da experiência humana, cruzando as fronteiras entre o físico e o não-físico. Com dedicação e prática, os praticantes podem aprimorar suas habilidades de discernimento, enriquecendo sua jornada espiritual e exploratória.

Livros sobre Projeção Astral

Wagner Borges – Viagem espiritual: A projeção da consciência

Este livro explora as experiências fora do corpo, conhecidas como projeção astral, fornecendo insights profundos sobre a natureza da consciência e suas possibilidades. Borges compartilha técnicas práticas para quem busca entender e explorar os reinos espirituais.

C. W. Leadbeater – Plano Astral e Plano Mental

C. W. Leadbeater explora em ‘Plano Astral e Plano Mental’ as complexidades dos universos não-físicos acessíveis através da consciência expandida. O livro detalha as características, habitantes e leis desses planos, oferecendo um guia profundo sobre a estrutura do invisível e o impacto desses domínios na evolução espiritual humana.

Sandie Gustus – Experiências Fora do Corpo ao Alcance de Todos: Guia Prático Para Compreender a Consciência e Usufruir os Benefícios da Vida Interdimensional

Este guia prático oferece uma abordagem acessível às experiências fora do corpo. Gustus fornece dicas, técnicas e insights para entender a consciência, explorar a vida interdimensional e aproveitar seus benefícios.

Conclusão

Ao explorar a diferença entre sonhos e projeção astral, adentramos um território fascinante da experiência humana que desafia nossa compreensão da consciência e da realidade. Os sonhos, como manifestações internas da mente, refletem nossas emoções, pensamentos e experiências através de cenários simbólicos e abstratos, operando dentro dos limites do nosso subconsciente e influenciados por nossas interações diárias e estados emocionais.

Eles são construídos a partir das formas-pensamento armazenadas nos corpos dimensionais, servindo tanto como um mecanismo de processamento para o nosso psique quanto uma ponte para dimensões mais profundas da nossa consciência.

Por outro lado, a projeção astral é caracterizada por um deslocamento consciente da percepção para fora do corpo físico, permitindo ao indivíduo explorar o plano astral – uma dimensão que existe independentemente dos nossos processos mentais internos. Essa experiência oferece uma realidade alternativa, regida por leis diferentes das do mundo físico, onde a consciência pode interagir com ambientes e entidades não-físicas.

A distinção crucial aqui é a natureza da experiência: enquanto os sonhos são subjetivos e moldados pelas nossas percepções internas, a projeção astral é uma exploração objetiva de uma realidade externa ao ego e ao corpo físico.

Técnicas como a atenção plena e o registro detalhado de experiências noturnas em um diário de sonhos são fundamentais para desenvolver a habilidade de distinguir entre esses dois fenômenos. A prática de relembrar conscientemente das experiências noturnas e a observação criteriosa de detalhes específicos durante a projeção astral podem fornecer insights valiosos sobre a natureza de nossa consciência e as múltiplas camadas da realidade.

Entre na lista

Inscreva-se para receber um presente e artigos semanais para aprofundar seus estudos:

atenção

Acabo de enviar um e-mail para você. Para garantir que receberá meu conteúdo, confirme sua inscrição clicando no link dentro do e-mail. Caso não encontre, verifique a caixa de spam. Aguardo você!

Inscreva-se no meu grupo

Inscreva-se no meu grupo do Telegram e receba diariamente artigos, vídeos, dicas de leitura, comunicados de lives e muito mais…