fbpx

Não acertar as contas com o passado

acertar as contas com o passado

Uma das causas do fracasso é não acertarmos as contas com o nosso passado. E acertar as contas com o passado passa por compreendermos a nossa infância, bem como o papel de nossos pais em nossa vida, os tipos de programações que recebemos e os traumas que carregamos.

Inscreva-se para receber artigos toda semana

Enquanto tudo isso não for trabalhado, ficará pulsando uma mágoa dentro de nós. Porque é na infância que recebemos programações que nos fazem crer que não prestamos, que devemos algo ao mundo, que somos burros, que somos maus e assim por diante.

Essas frases foram repetidas dia após dia, até que viraram um mantra negativo absorvido pelo nosso inconsciente, que rege toda a nossa vida. Essas programações são recebidas dos pais, da escola, dos professores, dos familiares, da religião e da sociedade como um todo.

Quando adultos, para nos livrarmos dessas programações e jogá-las no lixo, precisamos de uma certa dose de rebeldia, ou seja, é preciso que não acreditemos na programação dos outros e que façamos a nossa própria, do jeito que for melhor para nós. Isso porque acreditar nas programações alheias é ter grandes chances de fracassar. Afinal, os outros não sabem quem somos, nem mesmo se estiverem a vida inteira ao nosso lado, porque somos o resultado de bilhões de anos de experiência reencarnatória.

Assim, apenas nós sabemos o que é melhor para nós mesmos. Desse modo, mesmo que nossos pais ou nossos professores tenham tido boas intenções quando nos trouxeram essas ideias, ainda assim podemos colocar tudo isso para fora e acreditar que somos quem queremos ser.

Na prática, não é fácil cortar esses laços energéticos. Eles são como areia movediça, que agarram nossas pernas, limitam nossos movimentos e nos puxam para baixo. E a sociedade usa esse mecanismo para desenvolver a culpa em nós, de modo que já nascemos devedores em vários níveis. Então, o primeiro passo é estabelecermos que não somos culpados, tampouco somos devedores de qualquer coisa.

Sim, todos cometemos erros, mas, na época que agimos equivocadamente, não tínhamos a consciência que temos hoje. Além disso, ainda erraremos mais ao longo da vida. Tudo o que podemos fazer é pedirmos desculpas, repararmos os estragos como for possível e aprendermos com esse erro de maneira a não o repetir.

A culpa e o vitimismo não servem para nada, pois não importa o que fizemos no passado, importa o que somos e fazemos agora. Até porque, em vidas anteriores, absolutamente todo mundo cometeu erros atrozes, e nem por isso somos julgados. Para a vida, esses erros são apenas aprendizados. Por isso que, de modo geral, não lembramos das encarnações passadas, para não termos que lidar com o peso dessas culpas.

Mas, ainda assim, passamos muito tempo nos martirizando por erros de 20, 30, 40 anos atrás. Por isso, não devemos permitir que qualquer um, seja a nossa família, a religião que seguimos ou a sociedade em que nos inserimos, nos julgue e determine quem somos. Nós que devemos escolher no que queremos acreditar.

Romper esse laço de julgamentos e culpas com a família é difícil, por isso a importância de olharmos com atenção para nossa infância, de modo a compreendermos as crenças limitantes que adquirimos e as sombras que carregamos. Sem isso, essas programações ficam travando nossas vidas. Porém, não existe fórmula mágica para jogá-las fora. Só fazemos isso por meio da compreensão.

Por exemplo, nossa mãe pensa de determinado modo, e essa é a visão de mundo dela. Por isso, dentro do que ela entende, deu o melhor que podia para nós. Assim, respeitamos o que ela pensa, mas não precisamos comprar suas ideias, isso porque o erro é aceitarmos as limitações que os outros nos impõe como verdadeiras.

Quando acreditamos no que o outro fala sobre nós, estamos dando poder ao que ele diz. Agora, se conseguimos discernir que essa é apenas uma opinião e que não precisamos pensar assim, estamos caminhando para a liberdade.

Para ajudar nesse processo, podemos usar a terapia, pois ela puxa o fio da meada até o início dessas programações que nasceram na infância. Assim, acertamos as contas com o passado e paramos de carregar pesos desnecessários.

Livros Recomendados:

Copyright do texto © 2022 Tibério Z Dados internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste artigo pode ser reproduzida ou usada de qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, inclusive fotocópias, gravações ou sistema de armazenamento em banco de dados, sem permissão por escrito, exceto nos casos de trechos curtos citados em resenhas críticas ou artigos de revistas. (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) ISBN: 978-65-00-27681-7

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante:Esse site faz uso de cookies para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse.