Thoth, o Deus da Sabedoria e Escrita no Egito Antigo

Thoth

Thoth, também conhecido como Djehuty ou Tehuti, é uma das divindades mais importantes e fascinantes do panteão egípcio. Reverenciado como deus da sabedoria, conhecimento, escrita e magia, Thoth desempenhou um papel crucial na mitologia e na cultura do Egito Antigo.

Neste artigo, exploraremos a história, as características e as contribuições deste deus enigmático à civilização egípcia.

7 leis herméticas

Origens e Iconografia de Thoth

Acredita-se que o culto a Thoth tenha se originado na cidade de Hermópolis, no Médio Egito, durante o período pré-dinástico. Contudo, sua adoração se espalhou por todo o Egito e permaneceu popular até o final do período greco-romano.

Thoth era frequentemente representado como um homem com cabeça de íbis ou, em algumas ocasiões, como um babuíno. A íbis, uma ave de longo bico e pernas, simbolizava sabedoria e conhecimento, enquanto o babuíno representava a inteligência e a comunicação.

Thoth também era frequentemente retratado segurando um cetro, símbolo de poder, e uma paleta de escriba, ilustrando sua conexão com a escrita e o conhecimento.

Papel na Mitologia Egípcia

Thoth desempenhou um papel central em várias histórias e mitos egípcios. Ele era conhecido como o “Senhor dos Hieróglifos” e o “Mestre dos Mistérios”, sendo considerado o criador da escrita, das ciências e das artes. Thoth também era associado à justiça, e acredita-se que ele atuava como mediador entre os deuses em disputas e conflitos.

Um dos mitos mais conhecidos é o de Osíris e Ísis. Quando Seth assassinou seu irmão Osíris, Thoth ajudou Ísis, a esposa de Osíris, a reunir os pedaços do corpo de seu marido e a ressuscitá-lo. Thoth também desempenhou um papel importante no nascimento de Hórus, filho de Ísis e Osíris, e ajudou a protegê-lo dos ataques de Seth.

Ele também é um personagem fundamental no mito da “Luta entre Hórus e Seth”. Nesta história, ele atua como mediador entre os dois deuses, ajudando a resolver o conflito que surgiu após a morte de Osíris. Ao final do julgamento divino, Thoth concede a coroa do Egito a Hórus, reconhecendo-o como o legítimo herdeiro do trono.

Além disso, Thoth desempenhou um papel crucial na “Pesagem do Coração”, um ritual realizado no Além para determinar se um indivíduo poderia entrar no Reino dos Mortos. Durante este ritual, Thoth registrava os resultados e garantia a justiça no julgamento das almas.

Luta entre Hórus e Seth: O Papel de Thoth

Na mitologia egípcia, a história da luta entre Hórus e Seth é um dos mitos mais complexos e detalhados, simbolizando a eterna batalha entre a ordem e o caos. Essa narrativa não apenas destaca os conflitos entre Hórus, o deus do céu, e Seth, o deus do caos e das tempestades, mas também ilumina o papel crucial de Thoth, o deus da sabedoria, do conhecimento e da escrita.

Contexto do Conflito

Após a morte de Osíris pelas mãos de Seth, Hórus, filho de Osíris, emerge como o legítimo herdeiro ao trono do Egito, buscando vingança e justiça pela morte de seu pai. Seth, desejando manter o poder, desafia essa reivindicação, dando início a uma série de batalhas pelo controle do reino. Este conflito não é apenas uma disputa pelo poder, mas também representa a luta pela restauração da ordem e harmonia.

O Papel de Thoth na Disputa

Thoth desempenha um papel mediador e conciliador nessa história. Como deus da sabedoria e da magia, Thoth é chamado a intervir nas muitas disputas entre Hórus e Seth. Sua habilidade para julgar de maneira imparcial e sua profunda compreensão das leis divinas o tornam uma figura-chave para solucionar o impasse entre os dois deuses.

Thoth e a Restauração da Ordem

Durante um dos momentos mais críticos do conflito, quando Seth danifica um dos olhos de Hórus, Thoth intervém para curar o olho, restaurando a visão e a saúde de Hórus. Este ato não apenas simboliza a recuperação física, mas também a restauração da ordem e da justiça. Thoth, portanto, atua como um agente de cura e reconciliação, utilizando seu conhecimento e magia para equilibrar as forças em disputa.

Thoth como Juiz

Em várias versões do mito, Thoth é descrito participando do tribunal dos deuses, onde a disputa entre Hórus e Seth é finalmente resolvida. Sua presença assegura que a decisão seja tomada com sabedoria e justiça, refletindo o seu papel como o guardião do conhecimento divino e das leis cósmicas. A intervenção de Thoth é crucial para garantir que Hórus seja legitimamente reconhecido como o governante do Egito, reafirmando a ordem contra as forças do caos representadas por Seth.

Legado de Thoth

O papel de Thoth na luta entre Hórus e Seth transcende a sua participação direta nos eventos. Ele representa a importância do conhecimento, da sabedoria e da mediação em resolver conflitos. Thoth simboliza a crença egípcia na necessidade de equilíbrio e harmonia, tanto no cosmos quanto na sociedade. Através de sua intervenção, o mito sublinha a ideia de que a verdadeira justiça só pode ser alcançada por meio da sabedoria e do entendimento.

Deus Thoth

Pesagem do Coração: O Julgamento das Almas no Antigo Egito

No Antigo Egito, a crença na vida após a morte era central para a cosmovisão e a prática religiosa. Um dos aspectos mais importantes dessa crença era o ritual da “Pesagem do Coração”, uma cerimônia que ocorria no Além, onde as almas dos mortos eram julgadas para determinar sua dignidade de entrar no Reino dos Mortos. Thoth, o deus da sabedoria, do conhecimento, e da escrita, desempenhava um papel crucial neste processo, registrando os resultados e garantindo a justiça do julgamento.

O Ritual

O ritual da “Pesagem do Coração” era parte do “Livro dos Mortos”, uma coleção de feitiços, orações e instruções destinadas a guiar os mortos na vida após a morte. De acordo com esta crença, o coração do falecido, considerado o centro da inteligência e emoção, era pesado em uma balança contra a pena da verdade, representada pela deusa Ma’at, simbolizando a verdade, justiça e harmonia do universo.

O Papel de Thoth

Thoth, com sua cabeça de íbis ou, às vezes, de babuíno, era o árbitro deste processo sagrado. Ele era responsável por registrar o resultado da pesagem. Se o coração pesasse mais que a pena, indicando que o indivíduo tinha vivido uma vida de pecado, a alma era entregue a Ammit, uma criatura terrível com partes de crocodilo, leão e hipopótamo, que devorava a alma, negando-lhe a entrada no paraíso.

Se o coração fosse leve, igualando-se à pena de Ma’at, a alma era considerada digna e podia entrar no Reino dos Mortos, desfrutando de uma existência pacífica após a morte.

Importância da Justiça

A “Pesagem do Coração” simbolizava a importância da moralidade e da justiça na vida egípcia. Para os antigos egípcios, viver uma vida em conformidade com os princípios de Ma’at era essencial para garantir um julgamento favorável no Além. Thoth, como registrador desse julgamento, personificava a integridade e a imparcialidade, assegurando que o julgamento das almas fosse justo.

Representações Artísticas

Este ritual foi amplamente representado em artefatos, tumbas e textos do Antigo Egito. As representações mostram frequentemente o defunto sendo conduzido à presença de Osíris, o senhor dos mortos, com a balança da justiça, Thoth registrando o evento, e Ammit à espera do resultado. Essas imagens serviam como lembretes da importância de viver uma vida justa e da crença no julgamento após a morte.

Deus Thoth e Deus da Sabedoria

Contribuições à Civilização Egípcia

A devoção a Thoth reflete a importância atribuída ao conhecimento e à sabedoria na sociedade egípcia. Como o deus da escrita e do conhecimento, Thoth foi creditado com a invenção dos hieróglifos, o sistema de escrita utilizado pelos antigos egípcios.

Ele também foi associado ao desenvolvimento das ciências, incluindo matemática, astronomia, medicina e arquitetura, bem como à preservação do conhecimento e das tradições religiosas.

Templos dedicados a Thoth foram construídos em várias partes do Egito, com destaque para Hermópolis, sua cidade natal, e Khemenu, onde seu principal templo foi estabelecido. Nestes locais, sacerdotes dedicavam-se ao estudo e à preservação do conhecimento e às práticas religiosas.

A figura de Thoth também foi incorporada em amuletos e talismãs, que eram usados como proteção e para atrair sabedoria e conhecimento. Estudantes e escribas frequentemente buscavam a proteção e a orientação de Thoth em suas atividades acadêmicas e profissionais.

Curso de Terapia Vibracional

Thoth e Hermes Trismegisto: Uma Conexão Transcultural

Embora Thoth e Hermes Trismegisto sejam divindades originárias de culturas diferentes, eles compartilham muitas características e atributos, sendo muitas vezes considerados a mesma entidade em diferentes tradições.

Durante o período helenístico (323 a.C. – 30 a.C.), após a conquista do Egito por Alexandre, o Grande, as culturas grega e egípcia começaram a se fundir de maneiras significativas. Neste contexto, os deuses de ambas as tradições foram frequentemente sincronizados, ou seja, identificados como manifestações diferentes da mesma divindade. Thoth, o deus egípcio da sabedoria, foi sincronizado com Hermes, o mensageiro dos deuses e patrono da eloquência na mitologia grega.

Essa sincronização de Thoth e Hermes resultou na criação de uma nova figura divina conhecida como Hermes Trismegisto. O termo “Trismegisto” significa “três vezes grande” e é uma referência aos atributos de sabedoria, conhecimento e poder associados a essa divindade.

A Tradição Hermética

Hermes Trismegisto tornou-se a figura central da tradição hermética, uma corrente filosófica e esotérica que combinava elementos das tradições religiosas e filosóficas egípcias e gregas. A tradição hermética se desenvolveu no mundo greco-romano e teve um impacto duradouro na filosofia ocidental, na alquimia e na tradição esotérica.

Os textos fundamentais da tradição hermética são conhecidos como “Corpus Hermeticum”, uma coleção de escritos atribuídos a Hermes Trismegisto. Esses textos abordam temas como a natureza do divino, a relação entre o ser humano e o cosmos, a busca pela sabedoria e o conhecimento e o processo de transformação espiritual.

Influência na Filosofia e Tradições Ocidentais

A figura de Hermes Trismegisto e a tradição hermética tiveram um impacto duradouro na filosofia e nas tradições religiosas ocidentais. Durante o Renascimento, os textos herméticos foram redescobertos e estudados por filósofos e estudiosos, que encontraram neles uma fonte de sabedoria e conhecimento esotérico.

A tradição hermética influenciou o desenvolvimento da alquimia, uma prática esotérica que buscava a transmutação de metais comuns em ouro e a descoberta do elixir da vida. A alquimia, por sua vez, desempenhou um papel importante no desenvolvimento da ciência moderna, especialmente no campo da química.

Além disso, a figura de Hermes Trismegisto e os ensinamentos herméticos também encontraram eco em outras tradições esotéricas e místicas, como a Cabala, o Rosacrucianismo e a Maçonaria. Essas tradições frequentemente incorporam elementos da sabedoria hermética em suas doutrinas e práticas, destacando a persistência e a relevância da tradição hermética ao longo dos séculos.

Livros Recomendados sobre Toth

Sergio Ricardo dos Santos – Em Busca de Toth

Adentrando os mistérios antigos do Egito, “Em Busca de Toth” de Sergio Ricardo dos Santos é uma jornada intrigante e reveladora. Ao desvendar a figura misteriosa de Toth, o deus egípcio da escrita e da sabedoria, Santos nos conduz por labirintos de conhecimento oculto, simbolismos profundos e histórias esquecidas.

O autor habilmente entrelaça pesquisa histórica, insights espirituais e uma narrativa envolvente, oferecendo aos leitores uma visão única sobre a influência de Toth na cultura e na espiritualidade. Este livro é um convite para aqueles que desejam explorar os segredos guardados pelos sábios do antigo Egito e compreender o legado duradouro de Toth.

E. A. Wallis Budge – O Livro dos Mortos do Antigo Egito

Uma obra monumental que desvenda os segredos da vida após a morte conforme os antigos egípcios, “O Livro dos Mortos do Antigo Egito”, de E. A. Wallis Budge, é uma incursão profunda nas crenças e rituais que cercavam a jornada da alma no Além. Budge, com sua erudição ímpar, traduz e comenta os intrincados feitiços, orações e hinos que guiavam o falecido em sua travessia pelo Duat, o submundo egípcio.

Mais do que um manual funerário, este livro revela a filosofia e a espiritualidade de uma civilização que via a morte como uma passagem e não um fim. Uma leitura essencial para todos que se interessam pela sabedoria e religiosidade do antigo Egito.

Conclusão

A conexão entre Thoth e Hermes Trismegisto ilustra a interação e a fusão de culturas e tradições religiosas ao longo da história. A sincronização de Thoth e Hermes no período helenístico levou à criação de Hermes Trismegisto, uma figura que uniu aspectos das tradições egípcias e gregas e se tornou o centro da tradição hermética.

A influência de Hermes Trismegisto e da tradição hermética pode ser rastreada em várias correntes filosóficas e esotéricas ocidentais, desde o Renascimento até as práticas modernas da alquimia, da Cabala, do Rosacrucianismo e da Maçonaria.

Essa rica tapeçaria de influências e conexões destaca a importância da sabedoria e do conhecimento transmitidos por Thoth e Hermes Trismegisto na história da humanidade e na evolução do pensamento espiritual e filosófico.

O estudo de Thoth, Hermes Trismegisto e a tradição hermética oferece uma visão valiosa sobre como diferentes culturas e tradições podem se entrelaçar e se enriquecer mutuamente, moldando e influenciando o desenvolvimento da filosofia, da religião e da ciência ao longo da história.

Ao explorar essas conexões transculturais, somos lembrados da riqueza e da diversidade do patrimônio espiritual e filosófico da humanidade e da importância de buscar a sabedoria e o conhecimento em todas as suas formas.

Entre na lista

Inscreva-se para receber um presente e artigos semanais para aprofundar seus estudos:

atenção

Acabo de enviar um e-mail para você. Para garantir que receberá meu conteúdo, confirme sua inscrição clicando no link dentro do e-mail. Caso não encontre, verifique a caixa de spam. Aguardo você!

Inscreva-se no meu grupo

Inscreva-se no meu grupo do Telegram e receba diariamente artigos, vídeos, dicas de leitura, comunicados de lives e muito mais…